ENTREGA

ele se deixou como água
de afundar pelas fendas
nas moléculas e escamas
onde o peito se contorcia,

nada havia de mais doce
que chorar sem medida
mesmo que não pudesse
Robert e Shana ParkeHarrison
in meiaseis.com
nem supor o que sentia...

tarde noite cedo manhã
em horas que se adiam
ou se levam, sem porquê
na aurora nua de astros,
                    
no cicio das aves mudas
em clausuras naufrágios
em telas onde ruminam
os fantasmas sem rastros...

na pausa no traço na luz
nas escarpas do olvido
e praças cheias de gente
nas esquinas no meio-fio,

no relevo da pele de cera
na janela de ver o Oriente
na falta de não ter onde ir
preencher o imenso vazio...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS