VAZIO EM BRASA

me arde a asa amputada
de um desejo que tolhi
em vãos escuros de águas
a escorrer dias febris,

me falta a região de mar
que não pude estancar
numa sangria de percorrer
histórias que não fiz;
Micha Gordin - meiaseis.com

me acalanta uma canção
toada na voz dos montes
onde grita sem cessar
um jardim de distâncias,

me fere a eletricidade
de exaurir a sofreguidão
e ninguém desata o nó
a me sufocar tanta ânsia;

me esconde esse abraço
de tentáculos e incertezas
que me fixam à fronteira
de tanto esquecimento,

me consome as geleiras
em salões transparentes
onde queimam na escuridão
as sombras que invento...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALÉM DA JANELA

CORRENTEZA

INÍCIO E FIM