EXÍLIO

levantar cedo e organizar a dor
catalogar o sentido da revolta
recolher os centímetros sem uso,

disfarçar nos olhos perfurados
uma caterva sem fim de perjúrios
cometidos sob os lençóis sujos;
fonte - culturainquieta.com

bocejar na evidência do óbvio
desfocar a paisagem no espelho
pintar o quadro mais de uma vez,

e levitar na órbita de Saturno
quando ninguém estiver a julgar
as gastas boas maneiras clichês;

mergulhar através da porta oca
desmontar as peças da escuridão
emudecer o grito na bolha azul,

subverter por um momento breve
essa previsibilidade de existir...
depois, me exilo de vez em Cabul.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM NA GARRAFA

VIDÊNCIA

O EQUILIBRISTA