SEM FINAL

que desejo jaz nas gavetas,
a espera de um dia se encontrar
as coisas dadas por perdidas?

que mar não foi conquistado,
adormece sem marés ou estrelas
em terras ainda a descobrir?

que gemidos fechados na casa,
vão a se desfazer em poeira 
enquanto a esperança anoitece?

quantos olhos postos à janela,
vigiam os pássaros de sonhar
que o tempo engoliu nos ninhos?

que danças ficaram no salão,
sem que se pudesse concluí-las
antes do chegar o Armagedon?

que castelos foram tragados
nas mãos imprevistas das ondas
antes de se poder inventá-los?

que vidas foram suspensas
como semente em um solo árido
e a poeira é tudo que resta?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS