VIGÍLIA

Escrever dói
mas não como retirar
das pedras
os caminhos perdidos,

Escrever é vão
mas não como olhar
a cera derreter
de círios esquecidos,
                             
A dor é inútil
pois incessante cava
gestos e vazios
macerados em fumo,

E entre a luz
e a sombra das velas
paira a imensidão
de um lugar sem rumo.

Comentários

  1. Muito lindo o poema. Achei muito parecido comigo. Reflete minhas emoções. As vezes sinto como se tivesse acontecendo essa invasão. A realidade, é que todos nós somos bombardeado vinte e quatro horas por dia sobre várias formas de invasão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Lima Sousa, nos meus textos tento falar das inquietações e questionamentos que movem a vida! Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Comente os textos, suas críticas são bem-vindas e sugestões também. Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

ALÉM DA JANELA

CORRENTEZA

INÍCIO E FIM