VIDÊNCIA

o que não me define
é o que pulsa comigo
e a mim se assemelha,

e embora meu reflexo
por tudo se dispersa
como chuva na telha;

o que não me inicia
by Mehmet Turgut
é origem do que sou
seja o fim ou início,

o sopro da vertigem
os ângulos da elipse
o céu do precipício;

o que não me liberta
não me detém a busca
nem me restaura a fé,

me escraviza o corpo
de um não lugar vazio
que a alma vê onde é;

que não me demarca
nem deserto ou mar
nem pedra, lua, chão,

se o grito me resume
um sopro do silêncio
faz a palavra em vão...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALÉM DA JANELA

CORRENTEZA

INÍCIO E FIM