O EQUILIBRISTA

destituído de certezas
atravesso o fio da realidade
passo a passo com a dúvida
nesse exercício de equilibrar
a verdade que me sustenta;

o que me leva ao outro lado
é também o que me paralisa
ações e reações estudadas
em gestos de inseto e fúria
a fundir carne e metafísica;

o que me espera, desafia
em cada milímetro no espaço
não importa se à distância
rugem os pecados, e o medo
me devolve uns olhos vazios;

nada importa mais que ir
na hesitação mesma, e na dor
apesar de, a meio caminho,
compreender não ser possível
chegar onde jamais se alcança…



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTURNO 2

MOMENTO

FREEDOM