MOTO PERPÉTUO

Sei das alturas do profundo
abismo que insurjo,

guardo em ondas a verdade
dos castelos de areia,

revolvi em voos o desapego
de gerar cuidados,

escambo silêncios nas feiras
de subornar gemidos,

trago essa fome de lembrar
um tablado de estrelas,

refiz pontes para apaziguar
o vazio do mundo,

esqueci caminhos, retornei,
ainda estou aqui...

como extrair o sumo de crer
a inextricável alegria?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS