DICOTOMIA

uma chuva molhava
as últimas esperanças
daquela manhã,

como se não houvessem
estórias, novas ou velhas
para se contar,

o mundo despedaçado
deambulava pelo espaço
Edward S. Curtis - culturainquieta.com
sem mover as eras,

não havia planos
os discursos proféticos
as situações de risco,
                                      
os pássaros mudos
e os espelhos cansados
vestiam reticências,

a nudez de uma vela
aquecia de névoa
uma espera sem desejos,

o silêncio de tudo
soava como o relógio
em contratos com o tempo,

não havia verdades
e todas as razões
pulsavam, sem dicotomia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM NA GARRAFA

FILME NOIR

VIDÊNCIA