DARK VELVET

a soprano de névoas
cantava meus pés cansados
a minha vida sem graça
os meus dias contados,

o som de uma agulha cerzia
o silêncio das cinzas
meus olhos vigiavam a rua
de um ponto nas nuvens,

a poeira se multiplicava
em estrelas pelo céu
enquanto a luz escorria
nas poças de água da chuva,

pessoas rezavam nos becos
preces já esquecidas
para que o sono os acorde
de um deus feito de espinho...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALÉM DA JANELA

CORRENTEZA

INÍCIO E FIM