CENA NA RUA

um coração a boiar na turba
sem identidade, endereço, ou número
perdido em meio ao burburinho
de ruas asfaltadas e pessoas sem rumo;

um coração extirpado, e anônimo
a pulsar insistentes e arredios sinais
by Lee Jeffries
tão silencioso quanto ignorado por todos
e penso, poderia ser qualquer um;

esse coração não fala, não olha
não respira, nem voa no azul dos prédios
que refletem um céu vazio de estrelas
nos vidros polidos da ci-vi-li-za-ção;

podia ser o próximo astro de cinema
ou o artista pop do momento
o guru iluminado, o avatar do novo milénio
é apenas um coração, no entanto;

ainda assim ele está lá
para a perplexidade dos indiferentes
para a mofa dos que já nem creem mais
como um sinal abnegado de existir a vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS