COR

Joan Miró - (1893 - 1983)

o azul se refaz em tantos
ciano, ultramar, marinho
qual cor vestirá o branco
das nuvens pelo caminho?

os rubros se multiplicam
vermelho, ruivo, carmim
e restaura-se a alvorada
numa claridade sem fim;

amarelos, círios, trigais
a luz corusca de um jeito...
o sol a dourar os montes
exibe seu traço perfeito;

quero olhar desde o tom
de quando aparece a lua,
ao arco-íris pintar o céu
no rosto cinzento da rua.

"Yo pinto como si fuera andando por la calle. 
Recojo una perla o un mendrugo de pan; 
es eso lo que doy, lo que recojo."

Joan Miró

Comentários

  1. Muito lindo e sugestivo seu poema, Ribas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Tenho uma grande admiração pelo trabalho de Joan Miró, nesse poema tento falar do universo e do clima lúdico de suas obras. Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Comente os textos, suas críticas são bem-vindas e sugestões também. Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS