PRELÚDIO


no mar
que não tem medida
e é o limite

o barco
do que sou me leva
aos longes de abismos

num mapa
que não calculei
navego o delírio
                                                                                 
nos ventos
que cavam o trajeto
e encalço os perigos

os céus
que sustentam o mundo
espelham labirintos

a voz
da sereia vem despertar
um prelúdio de rios.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS