CIGANO


o reverso da estrada me leva...
a substância de juntar os dias
amanhece nas cores das uvas

há tanto tempo não ouço o sol
no eco de uma tarde quieta
que o vento atalhou na curva;

quem sabe a palavra que diga
ou se cale os silêncios do olhar                                     
e os sais que calham ao gosto

se for possível ainda silenciar
mais que as veredas onde o céu
revela toda beleza do sol posto;

que nenhuma estrada me leva
o que me traz ao pé do caminho
é a vontade de ir livre ao infinito

esse sentir é um anseio sozinho
as uvas, a tarde, o sol e o vento
são os únicos a seguir comigo.



GIPSY

the reverse road takes me ...
the substance of joining the days
dawns in the colours the grapes,

so long time I do not see the sun
in the echo of a quiet afternoon,
which the wind cast in the spaces;

who knows the word that says,
or write in the silences of the eyes
with spices that soften the dream,

if it is still possible one silence
more beyond the paths where heaven
can to reveal all your beauty stream;

because no road takes me,
which brings me to the wayside
it is a desire to go to the infinit, free;

this feeling is a so yearning alone,
the grapes, time, sun and the wind
are the only ones who follow me.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS