OUTRO POEMA

Máscaras - por J. Ribas

OUTRO POEMA

Matou-se o pouco de mim cada dia
E a cada volta da emboscada
Foi-se a alegria, de fantasia rasgada
Um sugou o cobertor de estrelas
Outro ainda, o fogo que alimentava

Ficou um sorriso de vidro, transfixado
Num momento que não mais vem
Porém, selei da vida um emblema
Dos avessos que enlaço meu dilema
A campear verdades aqui e além

Que não vão fisgar a réstia de vida
Nem as veredas pelos quais saía
A revirar as distâncias em liberdade
Não puderam atalhar os infinitos
Guardados na prensa da ventania

Escolhi o meu campo de batalha
Da luta forjada no pensamento
E se desato mancheias de espanto
É de levar às vias do impossível
A busca de significados que canto.

Comentários

  1. Lindo poema! Adorei essas imagens todas que, mesmo sendo de desencanto, são lindas! Parabéns por tanta sensibilidade! Preciso lhe fazer mais visitas! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Grato pelas palavras, fico feliz que tenha gostado. Pode visitar sempre, poesia é uma troca de experiências, e muito da mensagem se encontra no coração de quem lê! Abraço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente os textos, suas críticas são bem-vindas e sugestões também. Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS