AO OLHAR

olho em volta do dia
não nos vemos nas ruas
nem através da tempestade
a nos afogar em multidão,

é claro que é indiferente
se conta ou não o olhar-se
o próximo, o cinza, o ignoto
as inutilidades, os desejos,

ficamos cegos por dentro
ofuscados de não saber ver
de não alcançar a imagem
na despretensão do existir,

o olhar vaga pelo mundo
é tessitura que me escapa
transparência que se tinge
de fragmentar-se em sombras...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS