AO ÊXTASE

açucares de saliva
bebi no mel do seu desejo
fogo de açafrão, temperos
de lua cheia, sais,
boca aninhada aos seios;

mandrágoras de vidro
seivas agridoces de sorver
gemidos não contidos
tenazes a ferir e sangrar
by Carsten Witte
a língua, e o silêncio;

e havia nos oceanos
uma espuma azul turquesa
anêmonas nas entranhas
um aroma de suores fecundos
em êxtases de agonia;

em qual mundo repousar
tantos corais férteis
e moléculas prenhes de luz?
de que líquido preencher
o mistério em eterna fuga?

e o corpo se eriça
como uma colina de musgos
a ferver pluri-oceanos
num transe de pele nua
a levar infinitos à deriva...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS