FÊNIX

Espalho as cinzas
de quanto amei
pelos caminhos,

Estátua de sal
sem caule, ou raiz
somente espinhos;
                   
A lágrima se vai
num rio que leva
memórias, partidas,

Do que era fim
o sonho se ergue
nas chamas da vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM NA GARRAFA

VIDÊNCIA

O EQUILIBRISTA