OPOSTOS

O que me tarda é pouco
me deságuo em partes
essas águas que encalço
para completar os rios,

Se meu destino é o mar
partilho além o agora
da vastidão que me cabe
desde os tempos sem fim;
                       
O que me tarda é muito
entre divisões e somas
seja refugo, ou ausência
de tudo quanto incidir,

E se por certo é o vazio
outra medida humana,
a fronteira que procuro
conclui sua órbita em mim. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILME NOIR

MENSAGEM NA GARRAFA

AO DESTINO