LIMPIDEZ

É inútil presumir desculpas
para vasos partidos, ideias,
distração no relógio imóvel,
tudo se prolonga sem peso;

Navios afogados no deserto
e nos certificados da ordem,
a espalhar poeira no vergel,
expõe-se o histórico da vida;
                                
Escolher um único caminho
de quantos estão em frente,
mesmo que ir não expresse
definir a jornada conclusiva;
                    
Sei pouco de estar a buscar
na sala, a janela semiaberta
é o caminho fluente do raio,
na luz, sei onde há sombra;

Do mar, não sei além do sal
ou onda, se me deixar levar,
da lua sei menos que névoa...
claro é o sol entre incertezas.

Comentários

  1. Um poema de grandes imagens e poucas certezas, tal como a vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As certezas limitam e as imagens provocam, vida é mistério, dúvida é poesia!

      Excluir

Postar um comentário

Comente os textos, suas críticas são bem-vindas e sugestões também. Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGEM NA GARRAFA

VIDÊNCIA

O EQUILIBRISTA