INCOLOR

a nuvem que imagino cinzenta
no mar de céus de tempestade
me inspira dizer qualquer coisa
que não reconheço de verdade;

ou se não falo e somente penso
a imagem que me vem do olhar
muda tudo em redor em poeira
a chama que parou de queimar;

queria ter o romantismo da dor
bebida em goles de precipícios
ou ser uma sombra no deserto
ou cobrir o sol e arder os vícios;

o que trago é minha incerteza
anexa ao suposto de tudo além
que importa umas nuvens cinzas
ou quaisquer verdades também?  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS