PALCO



Todos riem, e o palhaço triste
Representa a sua última cena
Nesse repetido drama da vida,
De ausente a lua quase fugiu
Mas a mágica não foi perdida;

Todos se alegram com a piada
E o artista esgrime a sua arte
O gesto bobo de ir-se ao chão,
De maldade a lua quase sorriu 
Mas nada lhe adoça o coração;

Todos se iludem nessa plateia
Alcateia de uns lobos suspensos
Mas lá fora, palco sem cortina,
A lua e eles andam em silêncio
E o espetáculo jamais termina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS