LACUNAS

As vezes quando a insônia
vem ruminar a vigília
de saber que a distância
é que aproxima;

As vezes quando a lágrima
é o disfarce que a chuva
espalha nas dobras
da janela cinza;
                            
As vezes quando o tempo
vai, antes de ensinar
a sentir-se o amor
além de pertencer;

As vezes em que silêncios
despencam de abismos
sem que nada os possa
jamais preencher.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS