A CAIXA

O poeta tirou da caixa 
Guardada entre palavras
Uma parte das estórias 
Das que sabia contar

Com uma fez mar e céu
O sol a brilhar, enquanto
Trazia montes, oceanos
E cores ao dia branco

De outra extraiu a luz
Da estrela que incendeia
E acendeu pelas noites
Uma copiosa lua cheia

Das coisas esquecidas
Inventou os brinquedos
Que ganham vida no ar
E escondem segredos

Criou magias diversas
Outros passos de dança
Pássaros azuis, e um jeito
De ainda ser criança

Fez o paraíso na terra
O sopro da eternidade
Compôs almas aos pares
A estação da saudade

Depois de tudo contar
De si mesmo deu-se tudo,
Restam-lhe as lonjuras
De silêncios absurdos...

Comentários

Postar um comentário

Comente os textos, suas críticas são bem-vindas e sugestões também. Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS