DA COMÉDIA

e a vida ria-se de mim
da minha pouca astúcia
do meu fatalismo do nada
a vida ria, como não rir?

ri com ela, displicente
apaziguado na consciência
de me reconhecer risível
e inserido nessa comédia,

existir é esse mistério
e o tempo...passa rápido
as respostas são adiadas
se houvessem nada diriam,

o que se mede com a dor
senão o limite que somos?
só nos sobra rir, plenos
do que em nós é ausência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEM PALAVRAS

CORAGEM

GIRASSÓIS